do coração

Antes que eu percebesse,
o encanto virou paixão
Precedente, motor tão fácil…
Virou dor viver de ti a solidão!
És tu, coração, que despertaste!
E vive agora, da lua, a outra face
Como definir o encanto
senão sentir vontade do outro?
Como definir a saudade
senão a necessidade do encontro?
E eu, que não precisava de ti
E eu, que não preciso de ti
E eu, que todo dia
escolho a ti.
Porque não é preciso,
nem exato,
o que digo
Porque é infinito
e ainda assim imediato
o que sinto
Por ti.

(ASM)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s