mea pupa

Aos poucos a poesia me salva,
recicla minha vida, de menina, perdida
Mas ainda muito tímida, espiada,
a arte fica meio escondida
É que eu não acredito muito, ainda,
nessa tal de alma de artista
E negando a arte em minha vida
nego, sem perceber, a tua companhia
Vamos fazer um trato?
Tu faz a tua p.arte, e eu faço a minha
E a gente se encontra na próxima esquina
Eu, tu, a arte, a vida.

(ASM)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s