in.verter

Subversão. Sub versos. Versos que vertem de dentro.

Durante o Curso de Formação de Mediadores, da Fundação Bienal do Mercosul, os versos que estavam dentro começaram a verter. Inspirada pelos professores Guilherme Vergara e Jessica Gogan, construí este mapa poético:

mapa construído a partir de diagramas de Kawasaki, William Gilbert e Zülal Aytüre-Scheele

Durante a experiência de mediação na mostra Eugenio Dittborn, os versos inundaram o espaço. Inspirada pelos vínculos com os colegas mediadores (“Família Gaidzinsky/Ramesky”), pela subversão poética de Maria Helena Gaidzinski e pelas inúmeras conversas com os mais diferentes visitantes e as Pinturas Aeropostais de Eugenio Dittborn, construí este kusudama:

kusudama construído a partir de diagramas de Sergei Afonkin e Tomoko Fuse, além dos tradicionais tsurus

Subversão coletiva. Versos que vertem através de vínculos. Vínculos que curam e nos devolvem o que há de mais belo em cada um de nós: a humanidade.

(ASM)

Anúncios

3 comentários sobre “in.verter

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s